O duelo marcou a estreia do francês Virgil Lopez na equipe maranhense, como técnico principal

Virgil Lopez destacou positivamente a atuação solidaria do Sampaio / Foto: Paulo de Tarso/Sampaio Basquete
Virgil Lopez destacou positivamente a atuação solidaria do Sampaio / Foto: Paulo de Tarso/Sampaio Basquete

O Sampaio Corrêa Basquete levou a melhor no ‘Clássico do Nordeste’ ao suplantar o Uninassau Basquete, nesta terça-feira (16 de janeiro), por 87 a 63 (47 a 31 no primeiro tempo), em jogo que marcou o ‘début’ das duas equipes na Liga de Basquete Feminino (LBF CAIXA) – 2018, disputado no ginásio Castelinho, na cidade de São Luís (MA). O duelo marcou a estreia do francês Virgil Lopez na equipe maranhense, como técnico principal.

Depois de um primeiro quarto bastante equilibrado, com as duas equipes rendendo o mesmo (16 a 16), a equipe maranhense cresceu de produção no segundo, marcando forte e atacando com consciência; com isso, abriu uma boa vantagem (31 a 15).

No retorno do intervalo, o clássico voltou a ficar acirrado, com as duas agremiações rendendo bem, mas ainda assim com o Sampaio esteve ligeiramente na frente (23 a 21). Já nos dez minutos finais, o time da casa controlou bem a tentativa de reação do rival para vencer na estreia da competição nacional (17 a 21).

Os principais nomes da partida foram Vitória Marcelino (20 pontos e 06 rebotes) e a norte-americana Briahanna Jackson (17 pontos e 03 assistências), pela equipe maranhense; a cubana Ineidis Casanova (26 pontos e 06 assistências) e Gil Justino (22 pontos, 02 rebotes e 02 assistências), em favor da agremiação pernambucana.

“Destaco a parte coletiva da equipe, tanto defensiva, quando ofensivamente. O espírito do grupo foi o nosso alicerce durante os momentos difíceis, pois superamos isso em equipe”, destacou Virgil Lopez, técnico do Sampaio Corrêa Basquete.

“Nossa equipe, apesar de ter feito uma longa pré-temporada, veio acreditando que pelo fato do Sampaio ter se juntado recentemente, estaria mal fisicamente e esse foi um fator que nos prejudicou ao invés de favorecer; como já havia falado, é uma equipe que tem jogadoras experientes, mescladas com algumas mais jovens, e nós entramos em quadra muito acomodadas. A diferença foi atitude e disposição, que elas tiveram o tempo todo; o primeiro quarto foi equilibrado, mas depois que elas passaram na frente, parecia que nós é que estávamos treinando há apenas 15 dias. O placar foi bem extenso e agora temos que correr atrás do prejuízo, caso contrário, lá na frente isso poderá nos prejudicar; que sirva de lição para o próximo jogo”, comentou a pivô Gil Justino, do Uninassau Basquete.

O compromisso sequente do Sampaio Corrêa Basquete será contra o Funvic/Ituano, no domingo (21 de janeiro), às 11h00 (de Brasília), novamente em São Luís (MA). Já o Uninassau Basquete buscará a recuperação diante do Vera Cruz/Campinas, também no sábado (21 de janeiro), só que às 18h00 (de Brasília), jogando em Recife (PE).