O Dragão somou o seu sexto triunfo em oito partidas

Alex Garcia foi um dos destaques do Bauru no jogo / Foto: Victor Lira/Bauru Basket
Alex Garcia foi um dos destaques do Bauru no jogo / Foto: Victor Lira/Bauru Basket

Com Alex Garciaon fire’, o Sendi/Bauru Basket manteve o crescente na 10ª edição do Novo Basquete Brasil (NBB CAIXA) – 2017/2018. Na noite desta quinta-feira (14 de dezembro), o atual campeão foi a São Paulo (SP) e desbancou o então líder invicto EC Pinheiros com uma imponente vitória em pleno ginásio Poliesportivo Henrique Villaboim, pelo expressivo placar de 93 a 79.

Além de ‘colocar fogo’ na sequência invicta do Pinheiros, o Dragão somou seu sexto triunfo em oito partidas e esperará o duelo desta sexta-feira(15 de dezembro) entre CR Flamengo e Minas (ao vivo no SporTV), que têm apenas uma derrota na competição, para entrar de vez no ‘bolo’ do G-4. Mesmo com o revés, o clube pinheirense ainda é líder, com campanha de sete êxitos em oito partidas, a mesma do Mogi das Cruzes/Helbor, que perde no desempate pelo saldo de cestas – 44 contra 84 do Pinheiros.

No duelo entre os dois últimos MVP’s do NBB quem levou a melhor foi Alex Garcia. Com desempenho de 5/9 nas bolas de três pontos (55,6%), o capitão do Bauru totalizou 18 pontos e completou sua atuação de gala com oito assistências, cinco rebotes e dois roubos de bola, números que lhe renderam 27 de eficiência. Do lado pinheirense, o atual MVP Desmond Holloway registrou apenas 11 pontos, sete sobras e quatro servidas (16 de eficiência).

“Tivemos um primeiro quarto muito ruim, principalmente defensivamente, mas nos recuperamos no segundo quarto. No terceiro quarto conseguimos dar continuidade no nosso plano defensivo. Cometemos alguns erros em alguns jogos justamente porque estávamos pensando que o jogo era do ataque para a defesa. A partir do momento que mudamos isso as bolas começaram a cair, o jogo flui melhor e o time se fortalece”, disse Alex.

Para sair de quadra vencedor, o time bauruense mostrou tamanha precisão nas bolas de 3 pontos. Ao todo, foram 16 acertos em 37 tentativas (43,2% de aproveitamento), segunda maior marca da atual temporada do NBB – somente atrás das 19 que o Paulistano/Corpore converteu contra o Solar Cearense. Além disso, os 93 pontos representaram a maior marca ofensiva da equipe do técnico Demétrius Ferracciú na temporada.

“Abaixamos a pontuação do Pinheiros, que é um time que faz 84 pontos por partida. Conseguir abaixar em sete pontos a produção do melhor ataque do campeonato é muito bom. Tínhamos esse objetivo, o time comprou a ideia e se dedicou muito. No ataque tivemos o controle, fizemos 93 pontos. Estão todos de parabéns pela vitória”, comentou o técnico do Bauru, Demétrius Ferracciú.

Além de Alex Garcia, a grande noite do Bauru teve contribuições expressivas do ala Isaac, que errou apenas dois arremessos de quadra no jogo inteiro e registrou 18 pontos (4/5 nas bolas de 3), e do jovem ala Gabriel Jaú, de 19 anos, que saiu do banco de reservas para ser um dos maiores destaques do duelo na capital paulista, com sonoros 17 pontos, sendo oito no último quarto, além de nove rebotes e quatro assistências (25 de eficiência).

O Bauru entrou em quadra com um importante desfalque: o armador norte-americano Kendall Anthony, atual cestinha do NBB, que contraiu uma amidalite e ficou fora de combate. Além do baixinho, o Dragão atuou sem Gui Santos, que rompeu o LCA e retornará às quadras somente em oito meses. Do lado do Pinheiros, a ausência ficou por conta do ala/pivô Marcus Toledo, que fraturou o pé e ficará de fora por tempo indeterminado.

O Bauru ainda registrou mais duas marcas coletivas bem expressivas na noite desta quinta-feira em São Paulo. Com 26 assistências, a equipe quebrou seu recorde da temporada e anotou a terceira maior marca desta edição. De quebra, o Dragão estabeleceu o recorde de eficiência coletiva da competição, com 122. Curiosamente, o recorde histórico de eficiência do NBB CAIXA também é do Bauru em cima do Pinheiros, com 159, no fatídico duelo de 61 pontos de diferença (116 a 55) em 2014/2015 no Panela de Pressão.

Vindo do banco, o jovem armador Felipe Ruivo, de 19 anos, foi o grande destaque do Pinheiros na partida. Com cinco bolas de três convertidas em 11 tentativas (45,5% de aproveitamento), o camisa 4 pinheirense registrou nove pontos no último quarto durante a reação de sua equipe, totalizou 18 e saiu de quadra como um dos cestinhas da noite, ao lado de Alex Garcia e Isaac.

Ainda pelo líder do NBB, quem também se sobressaiu foi o pivô Ralfi Ansaloni, com 13 pontos e oito rebotes, o ala/pivô Arthur Bernardi, com 11 pontos, mesma marca de Desmond Holloway, que ainda pegou sete rebotes e deu quatro assistências e foi o jogador mais eficiente do Pinheiros na noite.

Com defesa fulminante e muita velocidade no jogo de transição, o Pinheiros abriu a partida abrindo logo 11 pontos de diferença (15 a 4). A reação do Bauru veio através das bolas de 3 pontos – foram três de Isaac e uma de Alex Garcia. Assim, os atuais campeões não só encostaram como ainda viraram o jogo para 20 a 19. No entanto, o time da casa voltou a abrir vantagem através de uma corrida de 10 a 1 nos dois minutos finais do primeiro quarto: 29 a 20.

O segundo período seguiu a mesma toada da parcial inicial. Novamente quente nos arremessos de 3 pontos, a equipe do técnico Demétrius Ferracciú encostou no placar novamente e, depois de sete minutos, conseguiu a virada novamente (38 a 37). Após algumas trocas de liderança no placar, o Dragão se firmou à frente e foi para o intervalo em vantagem: 45 a 43.

O Bauru foi arrasador na volta do vestiário e abriu uma decisiva vantagem no terceiro quarto. Com quatro bolas de 3 pontos, sendo três seguidas de Alex Garcia, o time do interior paulista emplacou uma corrida de 19 a 3 e abriu nada menos que 18 pontos de diferença (64 a 46). O Pinheiros bem que tentou reagir, mas o máximo que conseguiu foi cortar o prejuízo para 13 pontos ao final do terceiro período: 72 a 59.

O time da capital paulista não queria perder a invencibilidade na competição e foram para cima dos atuais campeões. Sob o comando da mão quente do garoto Felipe Ruivo, a equipe do técnico César Guidetti começou o último quarto com uma corrida de 13 a 4 nos quatro primeiros minutos e reduziu a desvantagem para quatro pontos (76 a 72).

No entanto, a empolgação pinheirense foi quebrada rapidamente pelo Bauru. Com quatro pontos seguidos do garoto Gabriel Jaú, o atual campeão do NBB ainda contou com bola dentro de Hettsheimeir para abrir dez pontos e respirar aliviado (82 a 72). Com isso, o duelo voltou para o controle dos bauruenses, que ampliaram a diferença para 16 pontos (91 a 75) restando dois minutos e meio para acabar e mantiveram a margem até o apagar as luzes.

“Principalmente no terceiro quarto tivemos uma queda muito grande. Não voltamos com a mesma intensidade que jogamos nos sete primeiros jogos. Uma hora poderia acontecer. Tínhamos uma boa sequência, mas teve o mérito de Bauru também. Eles jogaram na característica deles, nós não marcamos e eles tiveram bom aproveitamento. Acredito que deixamos a desejar na defesa e no ataque”, finalizou o técnico do Pinheiros, César Guidetti.